paralelismos

20

sempre este equilíbrio de estados, de lugares. os carris que seguem paralelos. a dor paralela à alegria. o medo paralelo à esperança. o pesar paralelo à admiração. não fora assim e enlouquecíamos, não?

parece tão longe de nós o que aconteceu. o que acontece todos os dias. roça o surreal. só que não é surreal. a capacidade (mais ou menos) latente que o homem tem de praticar actos de puro mal é extremamente e dolorosamente real. como é que se pode cair na esparrela de que o homem nasce necessariamente bom?

‘foram apedrejados e tentados; foram serrados ao meio; morreram ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, aflitos e maltratados (dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos e montes, e pelas covas e cavernas da terra.’ hebreus 11:37-38
a esperança e a segurança só podem estar fora de nós. sempre fora de nós. as ‘pessoas da cruz‘ sabiam-no. tanto que se dispuseram a morrer por essa segurança.

 

One thought on “paralelismos

  1. somos mini quando pensamos nos irmãos que vivem nesta condição de perseguição diariamente. que Deus tenha misericórdia de nós e que carregue nos Seus braços cada um destes heróis da fé.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s