HPIM5052

28 de abril de 2011. foi a primeira vez que mencionei a L. por aqui. quase três anos depois já muito aconteceu, mas quando ela nos segura a mão é como se fosse tudo novo outra vez. é uma ternura, uma gratidão que não se conseguem conter no peito. crescemos todos um pouco e, de há pouco mais de uma semana para cá, somos três cá em casa, em vez de dois. estamos claramente mais ricos.

amanhã conhece um novo ambiente, uma nova turma.

S. – estás nervosa?
L. – não.
S. – estás tranquila?
L. – sim, estou normal.

sei bem que não tem muitas dificuldades em adaptar-se. no entanto, o coração contorce-se-me em expectativa. conversamos, tentamos prever situações, instamos com ela para que seja amável, gentil e respeitadora com todos, que saiba como tomar as decisões mais sábias. e, no fim das contas, sabemos que somos pequenos e limitados (limitados é claramente um understatement!).

fiz-lhe, à pressa, um saco de pano tosco para o lanche e quero que leve todos os dias um bocadinho de casa lá dentro, um bilhete por dia, um fragmento de amor. mas o que quero mesmo, mesmo é descansar, sabendo que o Deus que cuida, cuidará dela.

rotina

April 21, 2014

nos últimos meses tenho sido levada a reflectir acerca da questão da rotina. e há paradigmas que antes abraçava ao ponto da frustração que, graças a Deus, têm caído por terra. devagar. que isto da transformação tem muito que se lhe diga e obriga a despir muita ‘palha’ que nos era até então querida.

o bom de almejarmos um coração receptivo é que quando encontramos mais uma camada para despir sentimos, em paralelo com a dor, uma satisfação e uma paz que não poderíamos jamais encontrar em nós mesmos.

“o que se repete funciona a partir do que se renova. (…) seremos mais felizes se compreendermos que a felicidade não é uma causa, mas uma consequência.”

- tiago cavaco*

*a propósito, espreitem aqui.

correr por gosto.

April 8, 2014

mosaic

foi doce o dia. hobbits felizes, soltos. umas horas no parque fazem maravilhas. conversámos, brincámos, fizemos coroas de flores, experimentámos pintar com flores, trocámos mimos. houve intrépidos acrobatas, paleontólogos empenhados, exploradores de tesouros.
respiraram eles e nós também.
correr por gosto cansa, sim, mas também aquece o coração.

HPIM5670 HPIM5675 HPIM5673 HPIM5674

just in time for the last bit of crispy air.

sl 30.5

April 2, 2014

noite

uma boa parte dos nossos dias tem começado assim. é um misto de alívio, de expectativa este momento em que a noite se entrelaça com o dia e se despe(de) devagar. a escuridão a dar lugar à luz. ou melhor, a luz a insinuar-se, gloriosa. a luz a triunfar.

e sou lembrada, assim, num momento fugaz, do valor inestimável da luz. do valor inestimável da páscoa.

o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. sl. 30.5

os 30:5
O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

Salmos 30:5

HPIM5437 HPIM5437 (3) HPIM5433

always look up.

March 26, 2014

HPIM5370 HPIM5372HPIM5362