do salmo 19

morninga constância é uma espécie de bicho raro. felizmente, quanto mais inconstantes somos nos nossos desejos, no relacionamento com os outros, nos gostos… mais percebemos que a constância está fora de nós. se olharmos com atenção, ainda conseguimos ver a sua marca na criação. as estações, os tempos próprios para plantar e semear. a viagem dos planetas em torno do sol. o ciclo da água. a gestação de um bebé. tanta ordem, tanta beleza na ordem. “sem linguagem, sem fala”.

pomba

neste ‘negócio’ de trabalhar com os hobbits aprende-se umas coisas curiosas. aqueles mais hesitantes, mais medrosos, os menos confiantes no seu próprio esforço criativo são muitas vezes aqueles que apresentam os resultados mais interessantes. são inconvencionais sem saberem sequer o que isso é.


o T andou às voltas com uma proposta, sempre cheio de medo de errar, de não conseguir… preso. experimentou vários materiais. até que descobriu a tinta da china e a cana que desliza deliciosamente no papel kraft. e no fim celebrámos os dois. ele porque amou o processo e eu porque amei o processo e o resultado.